Gestão de Pessoas no E-commerce

Gestão de Pessoas no E-commerce

Com o crescimento das atividades de Ecommerce, cresceu também a procura das empresas por profissionais da área, seja para moldar o serviço já existente ou de profissionais qualificados e preparados para desenvolver e alavancar o processo.

Segundo a análise que a consultoria CRJA faz dentro desse segmento é, que no meio dessa crise que atravessa o país o e-commerce ainda é o que mais cresce no mercado e mesmo antes desse momento, é uma área em que a maioria dos jovens investem com formação acadêmica, cursos técnicos e estudos extracurriculares.

A Fecomércio de São Paulo realizou uma pesquisa  sobre  o crescimento anual para profissionais no comércio eletrônico e verificou que aproximadamente  30% das lojas varejistas precisam de especialistas para atuar no setor, ou seja, é um número bastante expressivo, o que faz com que  os profissionais busquem formação, como dito anteriormente. Mas esse cenário pode ser um tanto quanto perigoso, pois gera  uma  demanda e um abismo de Bons e Não Tão Bons profissionais, o que pode causa  turnover dentro das empresas e que causa prejuízo e muita dor de cabeça para os gestores de Ecommerce.

E como as empresas devem se preparar diante desta situação de crescimento e contratação e retenção de bons profissionais?

De acordo com o Presidente da CRJA Carlos Araujo, acredita-se que para contratar um bom profissional, é implementar no recrutamento, situações em que o candidato possa expressar toda sua criatividade e assim encaixá-lo no perfil que a empresa  deseja. Tendo sucesso nesses primeiros passos entra então a gestão dessa equipe, é necessário manter um grau de observância minuciosa, colhendo possíveis pontos fracos da equipe e sanando os problemas com periódicas reuniões de produtividade. Caso o empresário não disponha desse tempo, é preciso ter uma pessoa responsável (que tenha nível sênior na área de MKT) para direcionar o grupo.

Uma das dicas é contratar um profissional experiente no comércio ou na tecnologia no meio externo e capacitá-lo no meio interno. Essa tendência de contratar um profissional e qualificá-lo dentro da empresa dá a chance do estabelecimento ter uma equipe ainda mais focada nos objetivos que a empresa pretende atingir e como captar ainda mais a atenção do público no meio digital por meio do conhecimento que o colaborador já possui.

Outras dicas valiosas no processo de seleção é a realização de estudos de caso e até análise de comportamento em redes sociais, isso pode ser uma alternativa viável para conhecer melhor o profissional que está sendo avaliado. A visão da inovação com o engajamento precisa ser um enfoque não apenas de quem está sendo contratado, mas também do contratante.

Muitos desses profissionais possuem conhecimentos bons para serem exercidos numa empresa de e-commerce. Nada mais benéfico do que oferecer espaço para que o conhecimento desses profissionais nas áreas de marketing e tecnologia seja usado para o crescimento do e-commerce, que veio para ficar de vez.

 

Compartilhe